meu estômago grita e não é de fome. fico pensando quando é que as coisas começaram a ser assim, qual foi a minha contribuição para que tudo ficasse tão suspenso? sofro e consinto. e quase que automaticamente risco mais um dia do calendário. me sinto impotente perante o tempo, nada posso fazer além de senti-lo penetrar em meu corpo. por isso prometo pouco e cumpro menos ainda. tenho dó. de mim mesma. por ser imensamente desajustada. costuro os botões do vestido, tiro a poeira dos móveis, organizo a pilha de livros, dobro as roupas, coloco o chá para esfriar, assisto o jornal, leio alguma coisa sobre a pátria amada, me distraio com a abelha que não sabe se passa para este ou aquele lado da janela, conto até cem e nem assim essa sensação passa. por quê?





2 comentários:

adélia jeveaux disse...

adoro seu blog, sara.

sara castillo disse...

poxa, então tenho que deixar isso aqui mais atualizado. e ó, fiquei feliz ao ver que reativou o seu :)

Postar um comentário